Ir para conteúdo 1 Ir para menu 2 Ir para busca 3 Ir para rodapé 4
Acessibilidade 5 Alto contraste 6

Legislativo itapiranguense presta homenagem às voluntárias da Feira do Carente e do CRAS

Publicado em 10/03/2020 às 16:15 - Atualizado em 10/03/2020 às 23:16

Em Sessão Solene, o Poder Legislativo de Itapiranga, por intermédio da Procuradoria da Mulher, prestou homenagem a Irene Wesendonk e Érica Inês Reichert e ao grupo de voluntárias da Feira do Carente e do Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), que trabalharam na confecção de fraldas. A solenidade foi realizada nesta segunda-feira (09), tendo como proponentes as vereadoras Ani Haas, Daniela Vogel e Loni Heckler, reconhecendo os relevantes serviços realizados junto à Feira do Carente e na confecção de fraldas. Foram 36 voluntárias homenageadas, cada uma recebeu um certificado e uma flor. A homenagem faz parte da programação especial para celebrar o mês da Mulher.

A Feira do Carente iniciou as atividades em maio de 1980, fundada por Irene Schroeder, junto à Casa Canônica. É uma instituição que visa auxiliar as pessoas com menor poder aquisitivo com roupas e sapatos, doados por famílias do município. As voluntárias também confeccionam cobertores, tapetes e almofadas, aproveitando as roupas que não podem ser reformadas. O objetivo foi e continua sendo, auxiliar as pessoas de baixa renda vendendo as peças por um valor simbólico. Atualmente a Feira do Carente é denominada de Brechó da Paróquia, que desde o mês de fevereiro de 2013 funciona nas segundas e quartas-feiras á tarde, no andar térreo da Igreja Matriz.

A confecção de fraldas começou no ano de 2006, quando a Administração Municipal, por meio da secretaria de Assistência Social percebeu a necessidade de ajudar as famílias que precisavam de fraldas geriátricas, pessoas acamadas, principalmente idosos. O programa foi viabilizado através da compra de uma máquina e do material necessário para confecção das fraldas. Dois voluntários trabalhavam uma vez por mês na fabricação das fraldas, em seguida as voluntárias do CRAS se reuniam para fazer os acabamentos. Érica Reichert e Julina Franzen (em memória) idealizaram esse projeto, que depois teve o apoio de outras voluntárias. A confecção de fraldas foi interrompida no ano de 2017, em virtude da prefeitura ter optado pela compra das fraldas prontas pela secretaria municipal de Saúde.


Galeria de Fotos

  • {{galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
  • {{galeriaMultimidia.length + galeriaImagens.length + galeriaVideos.length - 12}}
Fechar